Africa Innovation Summit - Ihaba

Ihaba apresenta primeiro produto ao mercado cabo-verdiano a 13 de Dezembro

ihaba apresentaCidade da Praia, 27 Nov (Inforpress) – O projecto Bonako, jogos digitais e aplicativos móveis, é o primeiro produto da Ihaba Buildings Enterprises a ser lançado no mercado cabo-verdiano a 13 de Dezembro, anunciou hoje o administrador José Brito.

Sem querer falar muito sobre o produto para “não estragar a surpresa”, o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros adiantou apenas que os vídeo games “são jogos cabo-verdianos” que vão ser vendidos para iTunes ou Google para aplicação móvel.

“Temos em curso também um portal de turismo (238cv), cuja ambição é participar na diversificação geográfica do turismo de Cabo Verde”, informou José Brito, explicando que o objectivo é ajudar a mudar o facto de o sector estar concentrado em apenas duas ilhas e no “all inclusive”.

O que a Ihaba propõe, segundo o administrador, é a abertura do turismo a todas as ilhas e o futuro portal “vai permitir, efectivamente, aos turistas verem o potencial existente”, devendo estar no mercado ainda no primeiro trimestre de 2014.

O “Seed Africa” é outro projecto da Ihaba, criada em 2012 em Cabo Verde para construir empresas e fomentar a inovação em África, baseada na visão de "transformar” o continente, razão porque a sua abordagem é incubar ideias criativas em negócios, suporte inovadores e construir um ambiente propício à inovação.

O “Seed Africa”, informou, vai centrar-se em três actividades, sendo a primeira a realização da I Cimeira “Africa Innovation Summit” sobre a inovação em África, a ter lugar de 04 a 06 de Fevereiro de 2014, na Cidade da Praia.

O objectivo da Cimeira, referiu, é criar as bases para um diálogo dos actores de várias áreas de desenvolvimento sobre a inovação em África, incluindo decisores políticos, empresários, inovadores, pesquisadores, académicos e investidores.

Estes “stakeholders”, de acordo com José Brito, deverão estar engajados num esforço conjunto para fazer uma avaliação estratégica do percurso feito pelo continente, procurar soluções e envolver os actores-chave na construção de um ambiente mais propício à inovação.

A Ihaba pretende que esta cimeira seja “contínua” e com uma periodicidade bienal, para começar, seguindo-se a criação do “Seed Africa Innovation Fund”, que vai financiar os “start-ups” africanos, e do “Seed Africa Start-up Accelerator”, que terá sede em Cabo Verde, para onde vai trazer, regularmente, inovadores africanos com ideias que querem desenvolver no país, afiançou.

O administrador faz, por isso, um balanço “extremamente positivo” do caminho percorrido pela empresa, que tem como outro sócio Jacob Adesida, porquanto já tem produtos prontos a entrarem no mercado.

Destacou, por outro lado, o trabalho e o engajamento dos 20 jovens que trabalham nesta “aventura”, muitos dos quais sem salários ainda, na ideia de que este projecto pode vir a ter uma dimensão africana e mesmo mundial.

“Esta é uma satisfação enorme”, confessou José Brito, orgulhoso pelo facto de jovens estarem a acreditar numa empresa que se propõe criar as condições para implementar o “sonho” da transformação tanto de Cabo Verde como da África.

AB

fonte: inforpress